EXERCÍCIO FÍSICO E OSTEOPOROSE


A possibilidade de que fatores genéticos e nutricionais fossem variáveis de confusão na comparação entre atletas e sedentários parece ser anulada pela observação de que tenistas e outros atletas com padrão assimétrico de desempenho,apresentam maior massa óssea no membro dominante .
Tenistas chegam a apresentar 30% mais de espessura na cortical dos ossos do braço e do ante-braço dominantes em relação ao lado oposto. Maior densidade óssea no antebraço ocorrem apenas nas atividades que envolvem esforços intensos com as mãos.
Alguns estudos permitiram identificar mecanismos pelos quais os exercícios físicos estimulam o aumento de massa óssea. O processo de remodelagem do osso ocorre quando as forças mecânicas dobram ligeiramente o órgão, produzindo cargas elétricas negativas na região côncava e positivas na convexa. Cálcio e fósforo se acumulam na região côncava e são reabsorvidos na convexa. Imagina-se que na hipertrofia do osso em função do exercício segue o modelo da hipertrofia muscular: o stress físico produziria micro-lesões; os esteoclastos removeriam as estruturas lesadas; os esteoblastos reporiam matriz calcificada na área, em maior quantidade que a removida.Excesso de destruição levaria ao enfraquecimento do osso devido a incapacidade dos osteoblastos repararem as micro-lesões.Tal como em toda forma de sobre carga , os níveis de intensidade para produzir incrementos da função solicitada são acima dos níveis habituais de homeostase e abaixo dos níveis de lesão .No músculo esquelético já se identificou uma substância mitògica produzida pela lesão celular no exercício , e que atua no processo de aumento de massa muscular .Imagina-se que as micro-lesões da sobre carga tensional etimule o tecido ósseo a produzir alguma substância estimulante da osteôgenese . Outra possibilidade é um mecanismo alternativo ou sinérgico ao anterior , onde se postula a existência de mecanoreceptores no osso ,regulados pôr hormônios sexuais ,que transformariam estímulos de tensão em estímulos bioquímicos para a osteogênese. Sabem-se que os exercícios funcionam melhor como estimulantes da osteogênese na presença de hormônios sexuais. Um aspecto relevante é que os exercícios aumentam os níveis de hormônios sexuais e hormônio do crescimento proporcionalmente a sua intensidade. Os exercícios com os pesos são os mais eficientes para aumentar a massa óssea, e também os que mais estimulam esse hormônios anabolizantes .A relação testosterona/cortisol reflete o estado anabólico e esta aumentada significantemente nos exercícios com pesos, contribuindo para o aumento de massa muscular e óssea .Excesso de treinamento produzem efeitos contrarios.Similarmente ao aumento da sensibilidade à insulina produzida pelos exercícios físicos , imagina-se uma maior sensibilidade do tecido ósseo hormônios estimulantes da mineralização, induzida particularmente pelos exercícios com cargas,e provavelmente pelo mecanismo de aumento numérico de receptores hormonais. Atualmente sabe-se que os exercícios com pesos não são apenas os mais eficientes para aumentar a massa óssea, mas também para aumenta a massa e a força dos músculos esqueléticos .Adicionalmente melhoram a flexibilidade e a coordenação , evitando quedas em pessoas idosas, que poderiam produzir fraturas em ossos osteoporóticos. Outra qualidade dos exercícios com pesos que justifica a sua utilização nas faixas etárias onde a osteoporose constitui problema ,é a sua segurança.A incidência de lesões é muito reduzida em função da ausência de choques entre pessoas , de movimentos violentos, e mínimo risco de quedas. Também se demonstro que a segurança cardiológica nos exercícios com pesos bem orientados é superior a de exercícios de média intensidade realizados de maneira contínua onde o aumento de freqüência cardíaca pode ser fator patogênico importante. Resumindo a situação dos exercícios físicos em relação a osteoporose sua importância grande tanto para o profilaxia quanto para o tratamento dessa condição. A sua utilização deve ocorrer desde a infância, nos anos onde se atinge a massa óssea máxima .Pôr mecanismos ainda pouco esclarecidos ,os exercícios mais eficientes são os que implicam em suportes de cargas e contrações musculares fortes. Dentre esses tipos de exercícios, os mais seguros e práticos são os exercícios com pesos.

Dr.José Maria Santarem
Médico pesquisador doutor
da faculdade de medicina
da USP.